Disclaimer: Os personagens aqui mencionados não me pertencem, são todos de autoria da queen J.K. Rowling. Mas é claro que se alguém quiser pagar para ler isso eu aceito.

Shipper: James/Narcisa

Obs. Universo Alternativo(sem magia). Trata-se de uma songfic da música "Eu nunca disse adeus" da banda Capital Inicial.



































O céu parecia lamentar a dor do jovem que bebia para não chorar. A tempestade parecia mais intensa a cada instante como se pudesse alagar o mundo pelas lágrimas inexistentes do amor perdido. As lágrimas pelo amor que poderia ter sido e não foi.

Quando ali chegara, James Potter não poderia prever as surpresas que a noite guardava. Não imaginava os segredos que a pista de dança escondia. Soube, no entanto, que era uma noite especial ao avistar aqueles cabelos loiros servirem de moldura para o que chamou de “sorriso perfeito”.

Eu não sei o que eu to fazendo mas tenho que fazer
Naquela noite que eu te conheci eu acho que nunca vou esquecer


Não entendia porque, mas precisava falar com ela. Precisava dela, mais do que precisava da bebida, mais do que precisava das lágrimas do céu. Perdera a noção do tempo ao avistar aqueles belos olhos azuis. E soube também que precisava dos lábios dela nos seus.

Com uma coragem que não conhecia ousou se aproximar da dona do sorriso perfeito. O que disse a bebida apagou de sua memória. Guardou somente pequenas palavras soltas de uma conversa que talvez nunca tenha feito sentido. E nada importavam as palavras, ele lembrava somente que fora uma noite quase perfeita. Uma noite que não era noite, tão cheio de luzes e cores se fazia aquele lugar.

Um momento quase perfeito inocente em seus defeitos
Tudo que é bom dura pouco e não acaba cedo.


No entanto, a única cor que via era o azul dos olhos dela. E por aquela noite esqueceria os olhos verdes que indiretamente o trouxeram até ali. Lembraria então de seu riso que parecia silencioso diante da música que abafava a tempestade. Música que não abafava somente suas dores, que não apagava os efeitos que a bebida lhe causava.

Agora pra sempre
foi embora mas eu nunca disse adeus
Agora pra sempre
foi embora mas eu nunca disse.


E sob sussurros gritados pediu para que a lua fosse somente sua. Pois ela seria sua lua por aquela noite. Havia vida e cores demais para que pudesse comtemplar o brilho de seu sorriso. E como poderia desejar fugir para ter a lua diante da mais escura das tempestades?

Eu disse vamo embora to meio tonto
Preciso respirar lá fora
Me leve para sua casa
Eu quero dormir onde você mora
Eu passando mal e você ria
Tanto barulho eu não entendia
Mas concordava sem saber
Com tudo que você dizia.


Sem conhecer o nome da princesa que encantaria seus sonhos fazia promessas que jamais cumpriria. Poderia abandonar seus vícios e sob as ordens dela cometeria qualquer loucura. Nada mais fazia sentido em sua mente embriagada.

Se me pedisse pra pular de um prédio
Eu diria sim

Qualquer coisa pra você gostar de mim.


A jovem mulher – que talvez até fosse princesa – não fez questão de revelar seu nome. E apenas ria diante das promessas absurdas do rapaz. Poderia esquecer-se de seus problemas por uma noite. Poderia ser Natasha, Isabel ou Fátima. Somente não seria Narcisa, somente não carregaria consigo as tradições falidas que exibia orgulhosamente sob a luz do sol.

Agora pra sempre
foi embora mas eu nunca disse adeus
Agora pra sempre
foi embora mas eu nunca disse


Ela somente tinha certeza de que o amaria por uma noite, não mais que isso. Não poderia revelar onde estivera, não poderia concordar com as propostas dele. E sem motivos apenas ria, ria das atitudes dele, ria porque naquela noite não precisava ser ela. E assim Narcisa, que poderia ser princesa ou até mesmo a lua, acompanhou-o em mais uma dose da bebida amarga.

E assim o estranho casal – que jamais seria realmente um casal – optou por dançar sob as lágrimas do céu. Lágrimas que talvez fossem de alegria. Confusa alegria.

Eu perdi o rumo e comecei a delirar
Acho que prometi até parar de beber e de fumar


E James – que era somente James – tornaria a repetir suas promessas. Mas ela não mais se importava com a música e os risos, e acompanhando sua falta de sentido tomou para si os lábios daquele que não era seu noivo.

Um beijo que ele correspondeu. Beijo que o levou a esquecer dos motivos que o fizeram procurar na bebida uma companhia, que fez das lágrimas do céu somente alegria. E a chuva envolvia aqueles jovens que queriam ser tudo, menos o que realmente eram. Somente a chuva foi testemunha daquele beijo e da noite que deveria não ter fim.

Se foi um ou se foram dez beijos ele não saberia dizer. Lembrava somente do gosto doce misturado à bebida que os fizera perder a razão. Somente lembrava da tempestade que deixara rastros em sua roupa molhada.

De repente a noite acaba e todo mundo some
Eu me lembrei que eu esqueci de perguntar o seu nome
Sem endereço nem direção por onde começar
Qualquer coisa pra poder te encontrar


E a luz do sol alcançava o sofá da sala para que James voltasse a ser somente um Potter rejeitado. Um Potter que perdera seu lírio e que não reconhecera seu narciso. Era esta a mesma luz que invadia o quarto de uma Narcisa que acordaria para tornar-se Malfoy. De uma mulher que guardaria sempre o beijo roubado em suas melhores lembranças, assim como a noite que ele lhe roubara.

Agora pra sempre
foi embora mas eu nunca disse adeus
Agora pra sempre
foi embora mas eu nunca disse.


E James Potter ainda carregaria consigo a tradição de admirar as mais belas flores, por mais que não reconhecesse seus nomes.

Categories: ,

2 Responses so far.

  1. Só você para misturar capital inicial, UA, me mostrar e ainda assim eu achar bom a ponto de comentar...

  2. *---* Mas qual o problema com Capital Inicial e UA? XD

Comente!